Reserva Biológica de Tinguá

      A Reserva Biológica do Tinguá (REBIO do Tinguá) é uma das maiores Unidades de Conservação da Mata Atlântica no Estado do Rio de Janeiro. A REBIO foi criada pelo Decreto Federal Nº. 97.780, de 23 de maio de 1989 e abrange uma área de aproximadamente 24.903,00 (ha) e perímetro de 150 km. Ela esta localizada entre a Baixada Fluminense e a Serra do Mar, e compreende os municípios de Nova Iguaçu (sede administrativa da Reserva), Duque de Caxias, Miguel Pereira e Petrópolis, distando 70 km da cidade do Rio e 16 km do centro de Nova Iguaçu, limite norte da Baixada Fluminense. O acesso a REBIO se dá através de Vila de Cava, distrito de Nova Iguaçu.  

      O objetivo desta unidade é o de proteger a Mata Atlântica e os demais recursos naturais, com especial atenção para os recursos hídricos e também visa o desenvolvimento das pesquisas científicas¹ e Educação Ambiental². A Rebio do Tinguá preserva em seu interior, um grande número de nascentes que formam as principais bacias hidrográficas do estado. A proteção da unidade é de vital importância para a conservação dos mananciais responsáveis pelo abastecimento de parte do Rio de Janeiro e de quase 80% da Baixada Fluminense, com benefício direto para a população que utiliza este recurso.

      Há um grande conflito em relação ao uso dos locais de captação de água e das cachoeiras próximas à unidade como áreas de lazer, foram construídas por meio de represamento várias piscinas artificiais ao longo do Rio Tinguá. Porém segundo o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC) que foi instituído, no Brasil, em 18 de julho de 2000, através da Lei Nº 9.985, a visitação pública só é permitida em caráter educacional e/ou científico, dependendo de autorização prévia do órgão responsável pela administração da unidade.  Outro fato alarmante é a caça e a extração de palmito*¹ que acontece na região da unidade.

      A localização centralizada no estado do Rio de janeiro garante a UC características únicas e importância fundamental para a conservação do bioma Mata Atlântica, principalmente por exercer papel de corredor ecológico entre as áreas protegidas e conservadas deste bioma no sudeste brasileiro. Trata-se de uma unidade com um ecossistema de enorme potencial, porém ainda pouco explorado cientificamente e embora esteja situada próxima a uma área de alta densidade populacional, sua cobertura nativa apresenta-se praticamente intacta.

      Para conhecer o plano de manejo do parque clique aqui.

* Esta unidade de conservação faz parte do Mosaico Central Fluminense.

¹ Algumas pesquisas científicas feitas na REBIO de Tinguá: 

       Chave de identificação para as espécies de Dicotiledôneas arbóreas da Reserva Biológica do Tinguá, RJ, com base em caracteres vegetativos.                                                   Link:http://www.scielo.br/pdf/abb/v18n2/v18n02a03.pdf


         Registro de Aphaereta laeviuscula (Spinola) (Hymenoptera: Braconidae) e Nasonia vitripennis (Walker) (Hymenoptera: Pteromalidae) como parasitóide de                               Cochliomyia hominivorax (Coquerel) (Diptera: Calliphoridae), no estado do Rio de Janeiro.

             Link: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1519-566X2006000300017&script=sci_arttext

 

           Diagnóstico Rural Participativo Para Proposta de Sistemas Agroflorestais E Florestais Com Agricultores Na Área De Mata Atlântica. (Texto em espanhol) 

                 Link: http://www.iufro.org/uploads/media/t2-villa-ester-et-al.doc


 

            Programa Espécies Ameaçadas na Área de Mata Atlântica.
                 Link:http://www.cepan.org.br/programas.php

             Avaliação do Enriquecimento por Dispersão Natural de Palmitero Euterpe edulis – Martius em Trecho de Floresta Ombrófila Densa Montana na Região de                       Miguel Pereira -                                                                                                                                                                                                                                  Link: http://www.researchgate.net/publication/242539655_AVALIAO_DO_ENRIQUECIMENTO_POR_DISPERSO_NATURAL_DE_PALMITEIRO_Euterpe_edulis_- MARTIUS_EM_TRECHO_DE_FLORESTA_OMBRFILA_DENSA_MONTANA_NA_REGIO_DE_MIGUEL_PEREIRA_-_RJ_1

 

²

            IBAMA promove Curso de Formação de Agentes Ambientais Voluntários na Rebio de Tinguá (RJ)

               http://www.sanegas.com.br/noticias.asp?exibir=yes&id=4882

 

            O Núcleo de Educação Ambiental desenvolve seu trabalho através do Centro de Ecologia e Cidadania de Tinguá (CEC Tinguá), localizado no bairro de Tinguá,               em Nova Iguaçu (RJ), cuja missão principal é promover e estimular atividades socioambientais na Baixada Fluminense, sobretudo visando à preservação da                   Reserva Biológica do Tinguá.

                 http://www.campo.org.br/educacaohambiental.htm

 

           Ecoturismo no entorno da Rebio, organizando caminhadas ecológicas para observação da fauna e da flora, e paralelamente desenvolve um trabalho de                         educação ambiental, visando reeducar o agressor ribeirinho e transformá-lo em guia ecológico

               http://www.baixadafacil.com.br/meio_ambiente/tingua.htm