Na temática referente às ferrovias construídas na Baixada Fluminense nos séculos XIX e XX, procuramos apresentar entre outras questões as mudanças ocorridas no meio ambiente local, mas principalmente, as modificações na dinâmica sócio-econômica das localidades que compunham a região na época.

    Algumas vilas desapareceram, enquanto outras localidades surgiam, à medida que os trilhos se assentavam nessa vasta baixada. Destaca-se que a construção das ferrovias, e especial a D.Pedro II vinculava-se ao escoamento da produção de café e que suas estações formaram "novos" centros de efervescência, social e econômica que resultaram da efetivação deste meio de transporte em detrimento do transporte fluvial.