Zona de Amortecimento da REBIO do Tinguá

   Áreas de Proteção Ambiental (APAs) do Rio D´Ouro, de Jaceruba, do Tinguá, do Retiro, do Tinguazinho e de Morro Agudo (apesar destas três ultimas não fazerem limites com a REBIO do Tinguá) são Unidades de Conservação (UC) criadas para integrar um mosaico de APAs que tem a função de agir como Zona de Amortecimento entre as áreas urbanas e de expansão urbana da cidade de Nova Iguaçu e a Reserva Biológica do Tinguá (REBIO do Tinguá) que foi considerada Reserva da Biosfera pela UNESCO.

    Segundo o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC) zona de amortecimento é o entorno de uma UC, onde as atividades humanas estão sujeitas a normas e restrições específicas, com o propósito de minimizar os impactos negativos sobre a unidade.

    Todas essas APAs citadas possuem características em comum como: 
São partes de uma Zona de Proteção Integral destinada ao refúgio da vida silvestre, vinculada prioritariamente à salvaguarda da Biota nativa, proteção de habitat das espécies, proteção de mananciais. O órgão gestor desta UC é a Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (SEMUAM), que procurará as formas de articulação e co-responsabilidade sobre o território com o IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais) e a FEEMA (Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente) e outros órgãos ambientais.